Missão

A flor da murta está ligada à esperança e à criação. Schumann invocou-a precisamente no seu ciclo Myrten(op.25) dedicado a Clara Wieck. Nessa obra, há a constante procura da ligação entre música, poesia e canto, a relação entre artes que levaram esse compositor a reconhecer que aprendera mais de contraponto com um escritor do que com os mestres de música.
As ligações da arte com a ciência são cada vez mais orientadas para a procura de novos universos categoriais que permitam expandir o nosso pensamento.
A relação criativa entre diferentes saberes e artes é cada vez mais o ponto “omega” do nosso tempo.
Na perspetiva social, a correlação mais próxima é a da cooperação entre diferentes culturas e mesmo perspectivas políticas e até psicológicas em vez de confrontos e isolacionismos.
A missão do Centro Cultural da Flor da Murta pode resumir-se em algumas palavras chave: artes, pensamento interdisciplinar, inclusão, comunidade, solução, sentido.


Temos o propósito de criar a partir do puro espaço concedido pela natureza e pela comunidade autárquica um sítio real e virtual conjugadamente em que os artistas, músicos, atores, escritores “entre outros” possam comunicar os seus saberes entre si e com as comunidades envolventes.
Pretende-se dar à cultura como esforço para existir plenamente um lugar aberto aos que dela estão constantemente excluídos e aos que a procuram, mas não a têm encontrado com facilidade.
Há assim uma tripla missão:
Em primeiro lugar, permitir aos artistas que criem e comuniquem, abrindo-lhes as portas e novas possibilidades de interagir;
Em segundo lugar, oferecer às comunidades envolventes arte;
Em terceiro lugar, criar através da arte vida comunitária às portas de Lisboa.
Por outro lado, comunidade inclusiva é abertura ao mundo, propondo que através das nossas descobertas criativas e culturais possamos oferecer mesmo aos que venham de fora eventos de grande importância.
No coração do Concelho de Oeiras, passará a existir um lugar real para a arte e o pensamento.